Imóveis a venda

Comprar um imóvel é uma ação que demanda muito cuidado e reflexão, afinal, é um bem de valor considerável e que definirá o conforto e bem-estar do futuro morador. Embora muita gente acredite que guardar dinheiro para essa conquista seja algo distante e até impossível, nem toda poupança precisa se tornar um sacrifício.

Que tal começar com pequenas mudanças de hábitos na rotina para ter maior confiança nas próprias escolhas e, como consequência, as economias se tornarem suficientes para dar início a um bom negócio? Veja agora 7 maneiras de se planejar financeiramente e compre o seu primeiro imóvel:

1. Faça as pazes com o dinheiro

Pode até parecer estranho, mas não considere o dinheiro a coisa mais importante deste mundo. Ele é essencial, mas não é a única saída para que você se divirta ou seja feliz e realizado.

O primeiro passo aqui é mais uma mudança de atitude em relação ao uso das suas economias, já que elas não devem se tornar o seu escape do mundo real. A partir de agora, comece a repensar os hábitos negativos que você tem em relação ao dinheiro. Por exemplo: consumir por puro prazer momentâneo, para impressionar conhecidos ou porque está se sentindo deprimido.

Formas de valorizar melhor o dinheiro

Compare preços em estabelecimentos variados, aproveite as promoções do momento e não tenha vergonha de se informar sobre valores com antecedência. Sempre que possível, pague à vista e evite imprevistos com as indesejáveis parcelas cheias de juros.

2. Organize planilhas

As planilhas — sejam físicas ou digitais — sempre foram aliadas de grandes empresas no controle do fluxo de caixa. Para finanças pessoais, elas também podem se tornar uma ótima ferramenta de comparação e avaliação precisa.

Em um caderno, anote todas as informações que envolvam o uso do seu dinheiro e depois passe-as para uma planilha. Com ela, você acompanha detalhadamente os consumos necessários — alimentação, transporte, moradia e saúde — com o que ganha, observando ainda custos mensais que são menos importantes. A partir dessa análise, você observa melhor de onde vem e onde está sendo utilizado o seu dinheiro, o que possibilita trabalhar formas de aplicá-lo somente no que é essencial.

3. Faça um coaching financeiro

Organizar as finanças para um grande investimento em imóvel não é uma tarefa tão simples para quem não está acostumado a poupar. Para pessoas que possuem mais dificuldade, a dica é consultar um profissional especializado em coaching financeiro.

Preparado com bons cursos e experiência na área de economias pessoais, o coach poderá ajudá-lo a se organizar e aplicar seu dinheiro de maneira mais saudável. Quando consultado, o coach poderá avaliar sua situação e apontar os principais problemas que existem no seu atual planejamento financeiro.

A partir dessa constatação, o coach irá acompanhá-lo em suas principais decisões e ensinará formas de melhorar seus hábitos para, posteriormente, você dar início no seu investimento. Na hora de contratar esse profissional, organize o treino em um período de tempo que seja adequado e que caiba na sua agenda. Com esse cuidado, você garante que os resultados serão melhores e aproveitados.

4. Utilize sistemas para o controle de finanças

Hoje, além das planilhas, existem diversos softwares e aplicativos de gestão que podem auxiliá-lo nas economias e planejamento financeiro. A vantagem desses sistemas digitais é que eles podem ser utilizados em diferentes plataformas móveis, garantindo o acompanhamento em qualquer lugar onde você estiver.

Para aproveitar as ferramentas, instale-as em seu notebook pessoal ou celular e comece a inserir os dados necessários para a comparação de ganhos e de custos. Se não quiser fazer tudo de uma vez, guarde todos os comprovantes e notas para alimentar o sistema quando tiver um tempo extra.

Lembre-se que pequenos itens consumidos mensalmente também devem ser incluídos no seu planejamento financeiro mensal. Ou seja, desde a compra de uma nova escova de dentes até a aquisição de uma mobília.

5. Corte os gastos supérfluos

Independente da situação financeira, as pessoas são incentivadas a gastarem mais do que possuem e o problema é que boa parte desse gasto é destinado a consumos supérfluos. Claro que todos nós gostamos de lazer e diversão, mas não custa repensar hábitos para adequar os gastos com o atual padrão de vida.

Para alcançar uma vida financeira saudável, que permita a você investir em um imóvel, abdicar de algumas regalias será fundamental. Como dica, sempre se pergunte: vale a pena? Eu preciso realmente disso? Posso fazer isso em outro momento? Reflita cada vez que achar necessário consumir algo supérfluo e faça suas escolhas com consciência.

6. Comece a aplicar seu dinheiro

Ao contrário do que muitos pensam, poupança não é uma necessidade limitada a quem não possui dinheiro em mãos. Hoje, investir em um imóvel demanda de qualquer pessoa um bom planejamento financeiro e isso inclui aplicar o próprio dinheiro para alcançar o montante necessário para a compra do bem.

Pensando nisso, se você já tem um valor considerável, pode aproveitá-lo para otimizar seus ganhos. Não deixe seu dinheiro parado, faça-o valer, mesmo que não seja uma grande quantia. Você pode aplicar em ações e poupanças no banco, afinal, sempre existe uma opção adequada ao momento e que cabe no seu perfil.

7. Conheça as condições de financiamento

Além de todo o cuidado com as economias do seu dinheiro, vale conhecer também as condições de financiamento existentes. A partir dessa informação, você saberá escolher a mais adequada ao seu bolso e às suas necessidades.

Entendendo as opções disponíveis no mercado, você consegue se planejar e saber quanto deverá guardar para fazer um bom negócio. Às vezes, ficar no aluguel e pagar um valor único enquanto não possui um montante suficiente é melhor do que pagar altos juros em parcelas que não acabam.

Se for possível, use o planejamento financeiro a seu favor e reserve uma boa quantidade para dar de entrada em um imóvel. Assim, você evita pagar juros sobre um bem que será importante na sua vida.

O que você faz atualmente para planejar as próprias finanças? Comente e contribua com suas experiências pessoais!