Com o programa “Minha Casa Minha Vida”, realizar o sonho da casa própria ficou mais fácil. Mas mesmo com os subsídios do programa, é preciso planejamento financeiro para evitar erros que podem transformar essa realização em um problema.

Siba mais como se cadastrar no Programa Minha Casa Minha Vida

Neste post, respondemos algumas dúvidas para você evitar erros durante o período do financiamento, e aproveitar com tranquilidade as vantagens oferecidas pelo programa.

1 – Vale a pena antecipar minhas parcelas do Minha Casa Minha Vida?

Os imóveis financiados nas faixas 1, 1,5 e 2 são viabilizados com subsídios mensais da União. Na prática, o Governo libera o recurso de cada mês para o pagamento da parcela referente àquele período. Logo, antecipar o pagamento até é possível, mas você perderá o direito a esse recurso.

Nos financiamentos da Faixa 3, onde não há subsídios do Governo, apenas juros mais baixos, é possível quitar as parcelas ou todo o financiamento a qualquer tempo do contrato.

2 – Posso financiar um apartamento com nome sujo?

O Minha Casa Minha Vida permite o financiamento com o nome sujo, mas apenas para os grupos que se enquadram na Faixa 1 do programa, com renda de até R$ 1800 mensais. Esse grupo é considerado de interesse social, pela vulnerabilidade social e por muitas vezes morarem em áreas de alto risco.

Todas as outras faixas do programas estão sujeitas a análises de risco, e a restrição financeira no Cadastro de Pessoa Física (CPF) pode ser um impeditivo. Confira neste post algumas dicas para que o seu financiamento seja aprovado no Minha Casa Minha Vida sem grandes problemas.

 3 – Posso vender ou alugar o meu imóvel financiado pelo programa?

O programa tem como finalidade democratizar o acesso básico à moradia e facilitar a aquisição da casa própria para os brasileiros, por isso as regras impedem a locação ou venda do imóvel antes que ele seja quitado. Participantes da Faixa 1 do programa terão o prazo de 120 meses para quitá-lo. Nesse período não é possível locar ou vender o imóvel.

Mas há exceção para alguns casos. O participante que for transferido ou conseguir um novo emprego, por exemplo, pode alugar uma residência próxima ao local de trabalho e locar sua casa do programa. Neste caso, permanece a finalidade residencial do programa.

Já os participantes da Faixa 2 ou 3 podem vender o imóvel a qualquer momento. Há duas formas possíveis: se o comprador pagá-lo a vista, você quita seu financiamento e passa o imóvel para o comprador. Se ele optar por financiá-lo, será feito um novo contrato para o comprador e o seu  será quitado. A locação sem justificativa continua vetada para essas faixas.

4 – Não consegui pagar as parcelas do programa em dia. O que acontece?

Quem deixar de pagar as parcelas do Minha Casa Minha Vida pode perder o imóvel. Se você tiver investido em quaisquer melhorias, os valores pagos também serão perdidos.

Vale destacar que quem comprar um imóvel do Minha Casa Minha Vida de forma irregular, vendido de modo ilegal por alguém que foi contemplado, poderá perdê-lo independentemente de estar em dia ou não com o seu pagamento. O Governo não reconhece contratos informais.

Anotou tudo para que seu financiamento dê certo? Confira algumas dicas para ser aprovado no financiamento Habitacional da Caixa.

Deixe uma Resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.