Ter um bichinho de estimação é sinal de alegria e de casa cheia de amor, certo? Para quem ama os pets, viver sem uma companhia como a deles é praticamente impossível, mas é preciso lembrar que nem todo mundo tem essa paixão e afinidades por esses “serumaninhos”.

Quem vive em condomínios sabe bem que a convivência com os vizinhos pode ficar bastante abalada se o comportamento de um animal passa dos limites. Alguns condomínios possuem regras rígidas em relação à presença dos pets em áreas de convivência e de circulação de pessoas. Mas existem outros aspectos que devem ser observados pelos moradores para que todos convivam em harmonia.

Pensando nisso, separamos aqui algumas dicas para ajudá-lo a manter a política da boa vizinhança entre você, seu pet e os demais moradores.

Eduque e limpe (o pet e a casa)

Um animal educado é sempre bem-vindo. Adestrar os animais de grande porte – até mesmo os menores – pode ser uma boa ideia para começar a socialização entre ele e os vizinhos. Evitar que um cão, por exemplo, pule nas pessoas, rosne e as assuste pode também evitar diversos constrangimentos.

A limpeza também deve ser uma prioridade. É importante manter seu animal livre de parasitas (pulgas e carrapatos), que podem contaminar outros moradores e o seu ambiente. Quando descuidados da higiene, cheiros fortes podem chegar às áreas comuns, como hall e elevadores. Para isso, existem produtos de limpeza específicos que podem ser encontrados em pet shops e até mesmo em supermercados comuns.

Walk the dog

Levar o cão para passear é a melhor forma de mantê-lo calmo e evitar latidos e rompantes de energia. No caso de gatos, o ideal é ter em casa muitos brinquedos e “circuitos de brincadeiras” para que eles possam se entreter.

Passear com os animais pode também ser uma boa forma de se incentivar a praticar exercícios. Em dias de impossibilidade, a contratação de um dog walker (profissional que leva os animais para passear) pode ser uma boa sugestão.

Respeite a lei e tenha bom senso

Afinal, um condomínio pode proibir a presença de animais? Sim e não. Não existe legislação específica sobre o tema, mas a Convenção de Condomínio, por vezes, pode prevalecer. O Código Civil Brasileiro e a Constituição defendem o direito à propriedade privada, mas, em todo caso, é interessante que a proibição seja discutida caso a caso e haja sempre uma tentativa de acordo não-judicial.

O bom senso é também uma boa bússola nesse caso. Optar por animais mais dóceis e respeitar as regras de horários e uso de elevadores específicos, além de ficar atento para que seu animal não faça suas necessidades nas áreas comuns do prédio, são imprescindíveis para uma boa convivência.

Adaptação de espaços

Sugerir ao condomínio um espaço separado para os pets pode ser uma boa saída. Não é preciso um espaço muito grande, mas, no caso de uma área de lazer extensa, é interessante separar um local onde eles possam brincar e fazer suas necessidades. Estabelecer regras de uso também para este local deixa tudo muito mais fácil e não prejudica ninguém.

Gostou das nossas dicas? Deixe aqui seu comentário!

Deixe uma Resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.