Seja no trabalho, para lazer ou no ambiente doméstico, a energia elétrica é um dos recursos mais essenciais do nosso dia a dia. Mesmo tão presente em nossa vida, seu uso ainda é cercado de mitos e crenças populares, que vão desde riscos de uso até técnicas suspeitas para economizar energia.

 Separamos algumas dessas histórias com explicações e dicas para acabar de vez com suas dúvidas e melhorar a eficiência de consumo na sua casa. Confira!

 1 – Usar T ou benjamin é errado ?

Em partes. A capacidade da estrutura elétrica de um apartamento vai depender do projeto desenvolvido pelo engenheiro. O material utilizado e toda a arquitetura da parte elétrica será feita em função desse projeto.

O benjamin é uma ótima ferramenta para conectar aparelhos como, por exemplo, a televisão e o DVD. Mas o ideal é evitar acumular muitos plugs em uma única tomada. Se você vai utilizar simultaneamente um número maior de eletrodomésticos do que o número de tomadas da sua residência, é recomendável contratar um eletricista para avaliar a necessidade de expandir a capacidade da sua casa e fazer as adaptações.

 2 – Aparelhos com tensão 220v gastam menos energia do que os de 110v ?

Mito. Não há diferença significativa no consumo de energia entre as duas, uma vez que  esse consumo depende da potência do aparelho e do seu tempo de uso, e não da tensão elétrica.

No início da instalação da energia elétrica no país, as companhias de cada região optaram arbitrariamente por uma ou outra, por isso a diferença nos estados. Fique atento para não ligar um aparelho 110v em uma tomada 220v, ou vice-versa, pois pode prejudicar o seu funcionamento e até queimá-lo.

 3 – Retirar o plug da tomada economiza energia ?

Verdade. Desligar totalmente aparelhos como televisão, video-game ou decoder de TV quando não estão em uso pode fazer diferença no seu consumo, mas apenas quando você irá ficar algumas horas sem utilizá-los.

Isso porque ao religá-lo na tomada, ele atingirá um pico de energia para começar a alimentar o aparelho. Logo, o liga-desliga frequente pode virar prejuízo. O cálculo é relativo ao uso, por isso adote esse hábito apenas para os eletrodomésticos que não vão ser usados diariamente.

Para evitar conectar e desconectar os fios da tomada, você pode usar um filtro de linha com um interruptor on/off, facilmente encontrável em lojas especializadas.

4 – Usar o celular durante a carga é perigoso ?

Verdade. Tanto o carregador como a bateria do celular podem superaquecer com o uso simultâneo durante a carga, aumentando o risco de fagulhas e princípios de incêndio. O contato com a pele ou exposição a outras formas de transferir calor para o aparelho também ajuda a aquecê-lo ainda mais.

Esses aparelhos passam por testes de seguranças rigorosos, mas não é recomendável correr o risco. Lembre-se também que muitos cabos e carregadores não originais podem não possuir os mesmos critérios de fabricação.

Fios mal dimensionados, pouco reforçados e com material inflamável aumentam esse risco. Fique atento ao controle de qualidade na hora de adquirí-los.

5 – Chuveiro é o aparelho que mais consome energia ?

Em partes. Em tempo real, o aquecimento do chuveiro realmente consome muita energia. Mas como ele é ligado poucas vezes ao dia e por um período limitado de tempo, ele não é o maior vilão. Esse posto é da geladeira, que fica ligada 24 horas diariamente.

Se o seu modelo for antigo, o consumo pode saltar absurdamente, atingindo uma média de 40% a 50% a mais do que as mais modernas. Se o seu modelo é antigo, talvez seja hora de considerar uma troca. O gasto com o novo modelo pode ser na verdade um  grande investimento.

6 – Modelos diferentes do mesmo aparelho podem ter consumo diferenciado ?

Verdade. Alguns aparelhos saem de fábrica com design e sistemas diferenciados que apresentam uma drástica diferença no consumo de energia. Essa diferença pode ser indicada por uma etiqueta que é anexada —obrigatoriamente por Lei Federal— à todos os aparelhos eletrodomésticos comercializados no país.

Chamado de Selo Procel de Economia de Energia, ele foi criado em 1993 pela Eletrobras e indica os aparelho com o consumo mais eficiente de energia. Assim como o valor do consumo é informado em kWh/mês, a escala de eficiência energética utilizada pelo selo classifica os produtos de “A” para o mais eficiente até a letra “E” para o menos eficiente.

Os testes são realizados em parcerias com o Inmetro, associações de defesa do consumidor, fabricantes e pesquisadores de universidade.

Agora que você já sabe alguns mitos e verdades sobre a eletricidade, que tal compartilhar com os seus amigos nas redes sociais? As dicas contribuem com a segurança em casa.

Deixe uma Resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.